Se conheceram pelos seus gostos em comuns, mas dessa vez, musicais: são fãs de Fifth Harmony, uma girl band estadunidense. Se conheceram na Quinta da Boa Vista, um parque na região central do Rio, em um encontro de fãs. Jhéssica descobriu o evento através do Twitter e uma amiga a convidou para ir, foi um bate volta do interior pra cá. Brenda decidiu ir ao evento também, com suas outras amigas. Quando chegou no evento viu a Jhéssica e logo se interessou, tentou puxar assunto, ou, como ela mesmo diz, uma péssima cantada. Trocaram seus números de Whatsapp e na hora de ir embora brincou com uma das amigas: “se ela quiser eu vou para o interior, fácil fácil”.

 

Na época, Jhéssica namorava, então ela e Brenda eram apenas amigas. Foram em outros encontros de fãs juntas e a Brenda chegou a ir até Três Rios para um aniversário de amigas em comum. 

 

Um tempo depois, Jhéssica terminou o namoro e elas se encontraram novamente, dessa vez no Rio. Era uma festa num sítio, então sentaram, viram as estrelas e acabaram se beijando. O tempo passou e mais uma vez vieram à Quinta da Boa vista, depois a Brenda passou o carnaval em Três Rios, mas a Jhéssica se sentia muito confusa ainda, um tempo depois, acabou voltando com a sua ex. 

Brenda ficou muito chateada e desesperançosa de que qualquer coisa pudesse voltar a dar certo. Por mais que o relacionamento da Jhéssica estivesse passando por um momento sanfona, entre idas e vindas, achou melhor esperar. A Jhéssica, por outro lado, não estava conseguindo entender tudo o que acontecia, mas de uma coisa tinha certeza: realmente gostava da Brenda. Várias amigas apoiavam elas enquanto casal, o tempo foi passando e decidiram dar um basta: se declararam. 

 

Assumir um relacionamento à distância não foi muito fácil, principalmente por ambas trabalharem e estudarem. É uma rotina bastante corrida, o tempo que sobra para ficarem juntas acaba sendo pouco - e a passagem acaba sendo cara. A pandemia, por mais que com diversas incertezas e dificuldades, fez com que pudessem trabalhar em formato home office e conseguiram passar mais tempo juntas em casa.

Brenda e Jhéssica são duas mulheres incríveis. Brenda é de Nova Iguaçu, cidade da baixada fluminense. Jhéssica é de Três Rios, interior do Rio. Elas comentaram que se pudessem, fariam de tudo para trazer a cidade mais pra perto da gente. Termos projetos que quebrem o preconceito, que eduquem e tornem as mentes mais abertas. Não acreditam que as pessoas mais velhas não possam aprender modelos novos sobre respeito e convivência social, bem pelo contrário, falam sobre a avó da Brenda, que tem 85 anos e uma mentalidade muito desenvolvida para aceitar as pessoas como elas são. Jhé comentou também sobre as cidades interioranas não terem tanto foco, tanta abertura para falar sobre diversidade. 

 

Brenda tem 24 anos e é jornalista, Jhéssica tem 23, é estudante de direito e apaixonada por jogos, adora streamings e descobrir partes técnicas de montagem de computadores (inclusive, têm montado alguns). Elas são muito grudadas em suas famílias, amam testar receitas culinárias que encontram na internet e depois fazerem para os familiares experimentarem.  

Brenda é muito grudada na avó, por ser uma mulher que veio do Maranhão e ter uma história de muita bravura. Jhé tem como inspiração a mãe dela, que engravidou muito jovem, aos 15 e que sempre a defendeu e mostrou que ela pode ser o que quiser ser. 

 

Elas têm uma relação muito tranquila e cheia de companheirismo. Amam sentar, beber cerveja e ouvir Fifth Harmony. Agora, no fim da graduação, tiveram um momento mais difícil por conta da entrega de TCC e das responsabilidades, mas foi importante para também entenderem o quanto se apoiam e fortalecerem a relação. 

 

Brenda acredita que o amor é compartilhar coisas na vida e apoiar independente da situação que estiver, ou melhor, amar por quem a pessoa é. A Jhéssica acha q o amor tem que ser leve, não ser levado como obrigação. E que ele pode acontecer de muitas formas, inclusive à distância, como é o caso delas.  

a palavra está com elas


 

Juntas: Nem sempre nossa história é dolorida, sabemos que quando o assunto é se assumir, vem logo o pânico do que vão pensar, como vai ser com a minha família. Mas se assumir é sobre amar, é sobre se amar, entender e viver quem realmente somos.

 

As vezes nossa pior prisão é nossos medos e anseios, e nossa maior liberdade é ser quem realmente somos.

A história da Brenda e da Jhéssica te ajudou de alguma forma? Gostaria de mandar uma mensagem para elas? Vem cá que conectamos vocês ♥

 

 

Tem alguma proposta de trabalho para elas? Opa! Pode mandar por aqui! 

 

 

Quer contribuir financeiramente com o Documentadas para conseguirmos registrar cada vez mais casais por esse Brasilzão? cá entre nós, é muito fácil! Se liga no PIX, aqui :D

 Brenda 
 Jhéssica